Laboratório Ecotron

Projetado pelo escritório belga noAarchitecten, o centro de pesquisa estuda os efeitos produzidos pela mudança climática no meio ambiente.

Fotografia Cortesia da Universidade de Hasselt

Ecotron é um centro de pesquisa de alta tecnologia onde a Universidade de Hasselt, junto a outros sócios internacionais, estuda os efeitos produzidos pela mudança climática. O centro de pesquisa está conformado por doze câmaras climáticas de alta tecnologia capazes de reproduzir, dentro do laboratório, as possíveis condições climáticas futuras.

O projeto busca potenciar tanto os aspectos programáticos como os paisagísticos para que cada visitante do parque possa experimentar o edifício como um valor agregado à paisagem. Ao estar revestido de chapas de aço inoxidável polido, o volume não se revela ao visitante a primeira vista, mas sim, à medida que se aproximam.

Fotografia Cortesia da Universidade de Hasselt

O laboratório de pesquisa, projetado por noAarchitecten, está situado no Parque Nacional Hoge Kempen e consiste em um volume alargado, de 100 metros de longitude por 10 de largura e 4 de altura, que respondem aos requisitos necessários para abrigar as câmaras climáticas.

O projeto busca potenciar tanto os aspectos programáticos como os paisagísticos para que cada visitante do parque possa experimentar o edifício como um valor agregado à paisagem. Ao estar revestido de chapas de aço inoxidável polido, o volume não se revela ao visitante a primeira vista, mas sim, à medida que se aproximam, gerando uma ambiguidade entre a ausência e a presença. A estrutura horizontal e a ausência de uniões visíveis dão ao conjunto uma imagem de perfeição e imaterialidade.

Implantação
Térreo e planta de cobertura
Fotografia Cortesia da Universidade de Hasselt

O Laboratório Ecotron foi publicado na PLOT 43, juntamente com outras três obras recentemente realizadas pelo escritório belga: Sala de leitura e arquivos do Museu Plantin-Moretus, Museu do Linho e o Campus da Universidade de Hasselt.

noAarchitecten foi fundado em 1999 por An Fonteyne, Jitse van den Berg e Philippe Viérin e conta hoje com uma equipe internacional de quinze arquitetos. O escritório flamenco tem sedes em dois lugares estratégicos: o principal de Bruxelas – dentro de um edifício industrial da década de 1930 restaurado pelos próprios arquitetos – e um segundo escritório no centro histórico da cidade de Bruges. Desde sua fundação, noAarchitecten trabalhou em projetos de diferentes escalas, sobretudo em edifícios públicos com programas complexos em centros históricos.

Arquiteto

Área 1.120 m2(construída) Localização Maasmechelen, Bélgica
Anos 2013-2016 Cliente Universidade de Hasselt   Fotografia Cortesia da Universidade de Hasselt