O Camarim

iR arquitectura

Fotografia Fernando Schapochnik

Este pequeno apartamento, produto residual da fragmentação de uma propriedade construída na década de 50 no bairro de Chacarita, configura um chanfro no primeiro andar com vistas tão abertas para o exterior como expostas ao olhar curioso da rua. Esses três fatores, ligados à vontade do cliente de habitar um espaço luminoso e flexível, determinaram a estratégia do projeto.

A demolição dos poucos elementos construídos no interior do espaço permitiu sua homologação não qualificada, deixando de fora apenas um banheiro pequeno. A abertura completa do muro que conformava o chanfro na esquina permitiu ampliar visual e funcionalmente o espaço de uso.

Axonométricas do processo

A incorporação de divisórias oferece um dispositivo novo, um diafragma capaz de expandir a ocupação do apartamento no verão e contraí-la no inverno, um colchão térmico que, por sua geometria e textura, assumirá a responsabilidade de velar pela intimidade do Camarim.

Sobre as duas paredes restantes, é possível ver um móvel que contém uma pequena cozinha, a geladeira e máquina de lavar roupas, que se expande e configura o acesso ao banheiro existente, organizando as instalações técnicas, os espaços de armazenamento, o equipamento que abriga a cama e o que compreende o escritório, que se relacionam com o resto do ambiente através de uma biblioteca.

Posts Relacionados