Destilaria Bombay Sapphire

Heatherwick Studio projetou para Bombay Sapphire a primeira planta de fabricação interna em Laverstoke, Reino Unido.

Fotografia Iwan Baan

A marca de gin Bombay Sapphire encomendou ao Heatherwick Studio a criação de sua primeira planta de fabricação interna, que também está aberta ao público.  Para implementar a ideia, escolheram uma antiga fábrica de papel cujas instalações contavam com mais de quarenta edifícios ora abandonados, alguns de grande valor patrimonial. A estratégia do estúdio se baseou na restauração dos edifícios de maior valor e na recuperação de um rio praticamente desaparecido por conta das canalizações.

O rio se transformou no dispositivo organizador central que dá sentido ao complexo e aos edifícios existentes. Além de seu canal ter sido alargado para o dobro das dimensões originais, abriram-se suas margens para a implementação de nova vegetação para transformá-las em um caminho atrativo aos visitantes, que funcione como guia no trajeto e que os dirija ao pátio recentemente definido em seu centro, rodeado de edifícios históricos.

Fotografia Iwan Baan

O primeiro pedido incluía a provisão de um centro de visitantes separado da destilaria. No entanto, a equipe de projeto considerou isto uma manobra sem sentido, e preferiu oferecer ao público uma experiência mais autêntica que os aproximasse do processo de destilação e dos esculturais alambiques de cobre em pleno funcionamento.

O plano diretor do Heatherwick Studio contemplou também a criação de duas novas estufas para cultivar exemplares das dez espécies de plantas exóticas utilizadas no processo de destilação do Bombay Sapphire. Uma das estufas contém um ambiente tropical úmido e a outra um clima mediterrâneo temperado seco. Ambas emergem da Casa Norte para pousarem sobre as águas do rio alargado. A conexão com a câmara imóvel permite que o calor residual do processo de destilação seja reciclado, para manter os climas cálidos que favorecem o crescimento das espécies plantadas.

Planta de conjunto
Corte pelas estufas

A geometria dos novos edifícios de vidro recebeu a influência dos avanços recentes na tecnologia do vidro e da vasta herança britânica de estruturas das estufas botânicas.

Fotografia Iwan Baan
Fotografia Iwan Baan

A reconversão da antiga fábrica na Destilaria de Bombay Sapphire, em Laverstoke, Reino Unido, juntamente com o Museu de Arte Contemporânea Africano Zeitz MOCAA, situado na Cidade do Cabo, foram publicados em detalhe na PLOT 42.

Arquiteto

Equipe  Eliot Postma, Katerina Dionysopoulou, Alma Wang, Ville Saarikoski Localização Laverstoke, Hampshire, Reino Unido Área 20.235  m² (terreno), 4.500 m² (construída) Anos 2010 (projeto) – 2014 (construção) Cliente  Bombay Spirits Company Ltd. Gerente de projeto  Meller Ltd. Construção Bellapart (Glasshouse)
Projetos complementares  GWP (arquitetos executivos e paisagistas), Arup (engenharia estrutural Glass House), Couch Perry Wilker (instalações mecânicas e elétricas),Graham Schofield Associates(estruturas), CBRE (planejamento), Giles Quarme Associates (patrimônio), SKM Enviros (meio-ambiente), Royal Botanical Gardens of Kew (horticultura), Alectia (processo), GWP Project Services Ltd (BREEAM)   Fotografia  Iwan Baan