Casa Abragão

O estúdio portugués fala atelier transforma uma antiga fábrica têxtil em um pequeno edificio de habitação coletiva

Cortesia fala atelier

Esta é a história de uma antiga fábrica de roupas que se tornaria um complexo habitacional. No entanto, a fábrica que se assemelhava a uma casa para “encaixar no contexto”, ideia do proprietário original, foi transformada em um bloco de apartamentos que remete a uma fábrica através de uma insinuação arquetípica e existencial.

Cortesia fala atelier
Cortesia fala atelier

Cada um dos três andares deveria conter dois departamentos, com um orçamento extremadamente ajustado que impunha uma “construção com padrão de habitação social”. No entanto, o andar livre existente permitia áreas generosas e vistas panorâmicas em cada apartamento, criando uma tensão espacial.

Fotografia Ricardo Loureiro

A geometria da planta começou a partir do alinhamento existente das colunas. O eixo, descentrado devido aos diferentes tamanhos das máquinas que ocupavam o espaço, proveu uma grelha de organização; a partir desse ponto, a geometria dominou o layout geral. Seis quartos quadrados, um deles dividido em dois espaços triangulares, uma curva e uma pequena dobra.

Térreo
Sistema de divisão
Axonométrica
Axonométrica

Para estabelecer uma ordem, regras desequilibradas, exceções e simetrias foram impostas. Uma sequência de portas azuis, separadas pela mesma distância, três colunas de concreto e a viga aparente produzem uma sensação de continuidade em todos os apartamentos.

A fachada é simples e ordenada, seguindo as regras ditadas pelo plano. O volume branco é enfatizado por uma grelha aparentemente regular de janelas idênticas; os canos de chuva são exuberantemente empregados.

A cornija velha, a aspereza da textura branca, a repetição da mesma abertura e a porta azul doméstica que marca a entrada do edifício mantêm uma linguagem arquitetônica. A economia de meios é apenas a contrapartida da retórica imposta.

Em PLOT 45 publicamos uma entrevista aos arquitetos Felipe Magalhães, Ana Luisa Soares e Ahmed Belkhodja, juntamente com quatro obras realizadas recentemente pelo escritório: Casa na Rua do Paraíso, Casa com uma parede curva, Casa São Brás e Casa pequena com um chuveiro monumental.

 

Arquiteto fala atelier

Equipe  Filipe Magalhães, Ana Luisa Soares, Ahmed Belkhodja, Julia Andreychenko, Rute Peixoto, Lera Samovich, Paulo Sousa

Localização  Penafiel, Portugal

Anos  2016-2018

Construção  Ruce

Projetos complementares João Magalhães (paisagismo)

 

Fotografia  Ricardo Loureiro

Compartilhar